Plataforma QlikSense

De Qknow
Ir para: navegação, pesquisa
QlikCiclesPicture.PNG

Página Principal >> Assuntos Gerais >> Assuntos Gerais de Qlik Sense >> Plataforma Qlik Sense

Introdução

Qlik Sense é uma plataforma da Qlik destinada a visualização, análise, consolidação e compartilhamento de informações para tomada de decisão com processamento IN-MEMORY através do modelo associativo. Baseando-se nas ações do usuário sobre os dados carregados em memória, o Qlik Sense recalcula dinamicamente todas as análises sobre os dados carregados, como se houvesse a criação de cubos dinamicamente em memória (apenas a título de comparação com o BI tradicional). O resultado é apresentado em interfaces gráficas acessíveis a partir de soluções Desktop (Qlik Sense Desktop) ou por meio de dispositivos móveis como tablets e smartphones. Alias, não é uma simples visualização na medida em que usuários destes dispositivos podem criar suas análises mesmo sem uso de um computador pessoal.

O Qlik Sense é destinado a usuários de negócio com viés a tornar o tomador de decisões o principal consumidor dos dados por meio de uma interface self-service escalável, segura e governada por diversos componentes e serviços. O Sense pode ser instalado em um único servidor ou em vários equipamentos, distribuindo seus serviços de acordo com as necessidades da organização, tanto vertical quanto horizontalmente (alta escalabilidade). Os seguintes componentes fazem parte de um arquitetura comum do Sense Server:

 Nota:  O ambiente Qlik Sense pode ser instalado no ambiente do cliente (on premise) ou acessável em nuvem (on cloud).
SenseArchitecture01.PNG
  • QPS (Qlik Sense Proxy): Responsável pelos serviços que atendem os administradores ou os usuários. Ou seja, quando um usuário acessa o portal na prática faz uma chamada do HUB do Qlik Sense (lembra um pouco o conceito do Access Point do QlikView) ou os administradores fazem uma chamada Web ao Management Console (nome identico ao QMC do QlikView). Ambos são respondidos pelo QPS (Qlik Sense Proxy Service) que atua também para balancear carga dos serviços, integração com serviços de diretório (ex.: Active Directory), gestão de licenças, entre outros.
  • QIX (Qlik Sense Engine): Responsável pelo processamento associativo em memória, o que habilita o cliente final a realizar diversas análises que não estão concebidas necessariamente em um datawarehouse agrupado. Ou seja, este serviço é o coração do Qlik Sense podendo trabalhar com milhares de registros em memória no grão em que estão armazenados, calculando as análises on the fly (em tempo de execução) para os tomadores de decisão. Está ligado diretamente ao Proxy e a outros serviços (vide relação a seguir).
  • QSS (Qlik Sense Scheduler): Atua para realizar as operações agendadas de recarga de dados, sequenciamento de recargas e atualização das aplicações com novos dados. Suporta também soluções externas que podem ser usadas para orquestrar estes processos em meio a outros existentes na organização. Por exemplo, é possível utilizar o CA AutoSys para orquestrar as recargas com outras atividades da companhia. O Scheduler também interage com o repositório (vide a seguir).
  • QRS (Qlik Sense Repository): Armazena os itens de configuração do ambiente, bem como recursos de gerenciamento da plataforma. Atualmente hospedado sobre plataforma PostgreSQL, mas com o advento de novas versões (acima de 3.0) já existe perspectiva de substituição do database. Este componente hospeda os dados a respeito de usuários, permissões e muitas outras configurações presentes na solução e que são ajustadas via Qlik Sense Management Console.
  • QVF (Qlik Sense Application): Compõe a interface gráfica do aplicativo acessível pelo usuário por meio de HTML 5.0, mantendo também os dados e o modelo de dados gravados em um sistema de arquivos. É carregado para a memória automaticamente a partir das requisições dos usuários, permanecendo no modelo IN-MEMORY enquanto houver demanda de análises pelo usuário de negócio. É equivalente (em grosso modo) ao arquivo .QVW do QlikView.

Além dos serviços executados em nível de servidor, a plataforma também dispõe de recursos para uso dos administradores e usuários. Dentre estes recursos estão disponíveis:

  • HUB: Trata-se de um ambiente Web acessível pelos usuários através de um navegador contendo todos os aspectos de elaboração de painéis de tomada de decisão, inclusive com recursos de arrastar e soltar (drag and drop) na criação do dashboard bem como tecnologia responsiva que adequa a interface com base no tamanho da tela do dispositivo. A tecnologia disponível é baseada em HTML 5.0, CSS3, JavaScript e Web Sockets, o que permite que qualquer dispositivo (Desktop ou Móvel) possa ser usado para elaborar os painéis ou acessá-los pelo navegador.
  • QMC (Qlik Management Console): Fornece aos administradores um console de gerenciamento do ambiente que permite configurar todos os aspectos da plataforma Sense, desde conectividade até o gerenciamento de tarefas, segurança, monitoramento do ambiente e auditoria. Para administradores do ambiente QlikView é importante destacar que não se trata do mesmo console que leva o nome idêntico ao QlikView Server.
 Nota: Este artigo se baseia na versão 2.2 do Qlik Sense e por isso o repositório mencionado é PostgreSQL. Na versão 3.0 do Sense haverá mudança do SGBD do repositório.


O Modelo Associativo

O modelo associativo é o grande diferencial do Qlik em relação as plataformas de BI tradicionais. Esta estrutura liga diversas fontes de dados de maneira transparente e fácil para o usuário de negócio, que não precisa entender de relacionamento entre tabelas ou mesmo instruções SQL para consultar diversos dados espalhados em diferentes fontes. Arquivos de dados (textuais, excel, etc.) podem ser combinados facilmente com dados relacionais (SQL Server, Oracle, DB2, PostGreSQL, MySQL, etc.)

Este conceito é implementado por meio de um modelo de dados tabular em memória, que contém um único apontamento para a existência de múltiplos dados iguais, compactando o volume e permitindo carregar muito mais volumes em memória. As entradas de cada coluna de uma tabela são gravados uma única vez em memória com apontamentos para todos os demais registros independente da fonte de dados, respondendo instantaneamente pelas interações do usuário com a manutenção do contexto.

Manter o contexto significa que qualquer dado selecionado pelo usuário será inspecionado em uma fração de segundos em todas as outras tabelas e arquivos que tenham sido carregados. Ou seja, independente de onde os dados estejam, ao selecionar um valor de qualquer campo todos os registros de todos os lugares estão posicionados para corresponder ao filtro aplicado. Em um BI tradicional esta ação só seria possível com inúmeros CUBOS montados com todas as dimensões possíveis e não pensadas, além de todas as medidas, sempre no menor grão em que os dados residem. Para um alto desempenho todo o modelo de dados é carregado junto a interface gráfica em memória através dos arquivos .QVF.

Arquitetura Distribuída

TwoServerDeployment01.PNG

Embora o Qlik Sense server esteja apto a atender centenas de conexões, painéis e usuários, a arquitetura pode ser balanceada para incorporar serviços separados por nó. É comum, por exemplo, a segmentação do ambiente horizontalmente para suportar diferentes demandas. Por ter uma arquitetura modular e distribuída é possível reunir serviços em diferentes servidores com intuito de balancear o processamento. Os componentes a seguir podem ser reunidos de maneira a compor um papel dentro do ambiente.

  • Nó do Usuário (User Node): Composto pelos serviços de Proxy, Repository e Engine (QIX) em um só servidor. Neste caso, o serviço Scheduler poderá ser movido para outro server. De qualquer forma, o repositório deve estar disponível. Eventualmente o Proxy pode estar separado em outro servidor.
  • Nó de Recarga (Reload Node): Reúne em um só servidor os serviços do Engine (QIX), Repository e Scheduler, ficando de fora o serviço de Proxy. Novamente, o repositório deve estar disponível localmente. O Engine (QIX) será utilizado pelo scheduler para atividades de recarga.
  • Nó Central (Central Node): Contempla todos os serviços, incluindo Proxy, Engine (QIX), Scheduler e Repository. Nesta configuração o Proxy será utilizado para fins de tarefas administrativas em atendimento as requisições do QMC (Management Console).

Até a versão Qlik Sense Server 2.2 a instalação do Repository é mandatório em todos os nós. Ou seja, independente do papel do servidor no ambiente o repositório deve estar disponível. Nestas configurações, onde múltiplos servidores fazem papeis diferentes, o repositório será sincronizado por meio de transações bidirecionais. Ou seja, haverá troca de informações entre os repositórios para que mantenham os dados sincronizados a respeito de licenciamento, sessões e configurações.

Existem inúmeras formas de configuração do ambiente computacional do Sense para atender os diferentes requisitos de negócio. Por exemplo, é possível separar a carga de trabalho dos usuários e administradores de maneira que não haja interferência entre eles. Em um ambiente com centenas de usuários simultâneos é possível que haja uma degradação de desempenho para os administradores que necessitam acompanhar logs, auditorias, configurações, permissões, entre outras questões de cunho administrativo. Por isso, é configurável a separação dos dois segmentos em estruturas independentes, como exibido na figura ao lado.


Assuntos Relacionados




Envelope01.jpg
Procurando Algo? Fale Conosco!



Voltar | Assuntos Gerais | Página Principal

Página Principal >> Assuntos Gerais >> Assuntos Gerais de Qlik Sense >> Plataforma Qlik Sense