Licenciamento da Plataforma Sense

De Qknow
Ir para: navegação, pesquisa
QlikCiclesPicture.PNG

Página Principal >> Assuntos Gerais >> Assuntos Gerais de Qlik Sense >> Licenciamento da Plataforma Sense

Introdução

Atuando como uma plataforma de Análise de Dados o Qlik Sense possui diferentes meios de uso e licenciamento para corporações de pequeno, médio e grande portes. Este artigo busca consolidar os principais componentes da plataforma Sense e seus mecanismos de licenciamento. Basicamente os produtos envolvidos neste artigo são:

  • Qlik Sense Desktop: Solução de descoberta de dados/negócio que pode ser obtida do portal da Qlik sem custo de utilização. Ou seja, o produto é totalmente gratuito e pode ser instalado em qualquer equipamento Desktop utilizando a plataforma Microsoft 64 bits sem necessidade de aquisição de licenças. Obviamente, para um uso institucional é provável que apenas uma versão Desktop não seja a solução de BI completa de uma corporação, na medida em que as decisões geralmente são tomadas por vários interlocutores que necessitam de acesso corporativo a painéis e/ou dashboards.
  • Qlik Sense Server: O licenciamento do Sense Server é baseado no que a Qlik chama de Tokens. Estes são associados a usuários ou configurados para uso flutuante. Na prática, não existe custo de licenciamento do servidor Qlik Sense, apenas dos Tokens (acessos). Ou seja, somente as licenças de usuário são comercializadas e, a partir de determinado quantitativo (10 Tokens), o servidor é gratuito. Esta comercialização é bastante diferente do modelo de licenciamento do QlikView, onde há custo de aquisição do servidor e das licenças de usuários.
 Nota:  O licenciamento a que se refere o item acima destina-se a instalação no ambiente do cliente e não uso em nuvem.

A Qlik possui ainda outros produtos e serviços não cobertos por este artigo, como o Qlik Cloud e o Qlik NPrinting. Maiores informações sobre estes produtos e seus meios de licenciamento podem ser obtidos no portal do fabricante.

Modelos de Licenciamento

Como mencionado, o Qlik Sense Desktop é gratuito e pode ser instalado por qualquer qualquer usuário destinado a realizar análises sobre os dados da companhia. Não há limitação técnica pelo fato do produto não ter um custo de aquisição associado. Ou seja, não existe uma versão com menos recursos e outra com maiores recursos apenas por ser adquirida. Na prática, qualquer usuário pode fazer uso do Desktop sem desembolso inicial. Por si só esta é uma grande diferença das plataformas concorrentes onde as soluções são geralmente adquiridas para uso individual sob um elevado custo.

Em um ambiente departamental ou corporativo onde a criação de painéis e relatórios visa o acesso remoto, por dispositivos móveis, compartilhado com outros usuários e principalmente gerenciável (governança), o Qlik Sense Server é o produto destinado a permitir a interação de múltiplos tomadores de decisão de forma organizada e orquestrada por uma série de componentes corporativos. Já o licenciamento é baseado em Tokens de acesso ao ambiente. Ou seja, apenas licenças de usuários. Não há um custo de aquisição do servidor Sense baseado em Tokens, mas sim dos usuários que farão acesso ao servidor.

Pode-se dizer que o Sense Server é pseudo-gratuito na medida em que não há uma tabela de preços para o servidor licenciado por Tokens de acesso. Porém, este modelo vale apenas para licenciamentos por conexão denominado aqui como Tokens. Modelos futuros de licenciamento por processador nada tem haver com Tokens e o custeio se dará por capacidade de processamento (núcleos) que não é alvo deste artigo.

Licenciamento por Tokens

A forma mais simples de entendimento do Token é associá-la a um usuário. Ou seja, um Token pode ser atribuído a um profissional da empresa de maneira nomeada e sempre que este precisar de acesso ao servidor sua conexão estará garantida. Neste caso, assumimos que a licença é do tipo nomeada aos usuários e poderíamos fechar o assunto desta maneira. Mas na prática, um Token é um passaporte de acesso ao servidor que pode ser configurado de duas formas:

  • Passaporte do Usuário (User Access Pass): Neste modelo o Token é atribuído a um usuário individual que terá acesso ao HUB a partir de qualquer navegador de Internet em diferentes dispositivos, incluindo smartphones e tablets. O mesmo usuário poderá se conectar simultaneamente em até 5 dispositivos diferentes (ou navegadores) com o mesmo passaporte. Essa flexibilidade permite que o usuário possa interagir a partir de um equipamento Desktop, celulares ou smartphones ao mesmo tempo, no limite de 5 conexões simultâneas com o mesmo login. Em ambientes maiores e mais complexos contendo múltiplos Sites o mesmo Token será utilizado para aceso a todo o ambiente Sense Server interligado.
  • Passaporte por Conexão (Login Access Pass): Um Token pode ser desmembrado em vários acessos simultâneos de maneira que múltiplos usuários tenham conexão ao ambiente sem que prendam uma licença por prazo indefinido. No modelo de passaporte por conexão o Token será desmembrado em 10 tickets (ou 10 passes, como a Qlik denomina). Cada passe permite uma interação de até 60 minutos (1 hora). Se o usuário ultrapassar este período um novo passe é utilizado, enquanto passes estiverem disponíveis. Se houver uma desconexão antes do consumo dos 60 minutos o usuário poderá reconectar para dar continuidade na análise dentro do mesmo passe, desde que retorne dentro dos 60 minutos previstos de uso do passe. Usuários nomeados podem utilizar até 5 dispositivos no mesmo passe, enquanto usuário anônimos consumirão um passe para cada dispositivo por motivos óbvios, já que não se pode definir se é o mesmo usuário.

É possível observar então que existem dois modelos de configuração dos Tokens em nível de Qlik Sense. O primeiro destina-se a profissionais de uso intensivo dos painéis que sempre terão seus acessos garantidos por manterem um token permanentemente associado (User Access Pass). Logo, independente de estarem utilizando ou não o Qlik Sense, sempre que realizarem uma conexão haverá disponibilidade. Ou seja, a vaga é garantida e ninguém pode "estacionar" no espaço reservado ao usuário.

Por outro lado, existem usuários de acesso esporádico que realizam ações de análises semanais, mensais ou ocasionais. Alocar uma vaga permanente para estes clientes eleva o custo na medida em que raramente o espaço a eles destinado estará ocupado. Portanto, no segundo modelo é possível configurar o Token para um modelo "rotativo" onde quem chega primeiro faz uso da "vaga". Neste caso cada Token é dividido em 10 vagas que podem ser ocupadas por até 10 usuários simultâneos no limite de 60 minutos cada ou, por um único usuário ao limite de 10 horas. Esta configuração aplica-se a usuários e grupos.

No modelo de Token por passe de acesso (segundo modelo acima apresentado) os passes utilizados serão liberados em ciclos de 28 dias. Ou seja, a cada período zera-se o tempo consumido e os passes voltam ao estado original para serem novamente consumidos segundo os critérios acima. Cabe a companhia definir quantos Tokens serão destinados a cada modelo e associá-los aos usuários e grupos correspondentes, sem necessidade de intervenção do fornecedor.

Liberação das Licenças Associadas

Cabe ao administrador do ambiente remover as licenças que foram associadas aos usuários visando realocá-las a outros profissionais da companhia. Entende-se como licenças os Tokens configurados em um dos dois modelos apresentados no tópico anterior. Para cada um existe um tempo de "quarentena" (que não são quarenta dias, diga-se de passagem) para que o Token seja efetivamente liberado. As condições variam de acordo com a configuração (se User Pass ou Access/Login Pass).

  • Passaporte do Usuário (User Access Pass): Quando o usuário detém um Token para uso individual, a remoção do acesso para outro usuário colocará o Token em quarentena de 7 dias a partir do último acesso do usuário atual. Ou seja, o Token não estará liberado imediatamente se o cliente atual tiver algum uso registrado nos últimos 7 dias. Note que a "quarentena" não se dá a partir do momento da retirada do Token do usuário, mas a partir da data/hora do último acesso daquele Token ao ambiente. Logo, se o usuário não acessa o HUB a mais de 7 dias a liberação é imediata. Este modelo lembra um pouco a retirada de licenças do tipo NAMED no ambiente QlikView onde há uma "quarentena" de 24 horas a partir do último uso.
  • Passaporte por Conexão (Login Access Pass): No caso de Tokens desmembrados em passes o modelo de quarentena é diferente do anterior. Nesta situação os Tokens são "recriados" a partir do quantitativo de passes disponíveis. Por exemplo, se existem 28 passes disponíveis (não utilizados até o momento da revogação), então a cada 10 passes um Token estará imediatamente disponível para ser reconfigurado. No exemplo em questão, 2 Tokens retornam ao conjunto de licenças disponíveis de imediato (10 + 10 + 8), enquanto os outros 8 passes precisam aguardar o tempo de renovação de mais 2 para formar um novo Token. Esta renovação pode levar de 1 a 28 dias, dependendo da data/hora do consumo dos passes.
 Nota: Se o administrador resolver devolver um token removido de um usuário no tipo User Access Pass, a licença é imediatamente atribuída
       sem necessidade de quarentena. Ou seja, a mesma licença que por hora entrou em quarentena é devolvida ao usuário sem precisar de uma nova licença.

Ambiente de Teste e Produção

Em grandes organizações a segmentação de ambientes para teste/homologação e produção é uma prática comum. O modelo de licenciamento do Sense Server por Tokens permite que licenças possam ser adquiridas para o ambiente de teste/homologação com preço diferenciado. Estes Tokens são adquiridos separadamente daqueles destinados ao ambiente de produção e destinam-se a testes sobre os dados, validação dos painéis/relatórios, aprovação pelos usuários, etc. Em linhas gerais, se uma empresa deseja adquirir ambientes de teste/homologação e produção será preciso adquirir os Tokens específicos para cada ambiente. Logo, receberá um arquivo LEF para cada servidor.


Qlik Sense como Serviço (SaaS)

QlikSenseLogo03.png

A Qlik oferece um modelo de uso do Sense Server em ambiente remoto (nuvem) através do licenciamento SaaS (Software As A Service) onde usuários podem criar suas aplicações e compartilhar gratuitamente com até 5 outros usuários. O serviço é suportado tecnicamente pela Amazon Web Services (AWS), mesmo recurso utilizado pelo portal Qknow. Claro que existem limitações em relação a versão local (on premise) mas é um bom ponto de partida para pequenas organizações ou demandas departamentais incipientes.

No ambiente em Cloud (nuvem) o usuário pode criar, editar e manipular aplicações que serão compartilhadas gratuitamente. Os dados podem ser carregados para a nuvem por meio de arquivos (flat files) como Excel, textuais, etc. Alternativamente, dados podem ser cruzados com o Data Market da Qlik, uma oferta de informações que podem ser consumidas pelo painel e interligados aos dados carregados pelo usuário. Nesta modalidade não existem Tokens e os usuários só poderão editar os painéis que forem criados por eles e não por outros. Não há custo para o uso desta plataforma até o limite de 5 usuários. Características do uso sem custo:

  • Um usuário mestre se registra no Cloud para criação e edição dos painéis.
  • Os dados são carregados por meio de arquivos. Conexões a bancos de dados não estão disponíveis.
  • Dados carregados podem ser associados ao Qlik Market. Consulte o portal da Qlik para maiores informações sobre a oferta.
  • Até 5 usuários podem acessar os painéis criados, mas o recurso de edição caberá apenas ao criador dos painéis.
  • O usuário mestre poderá fazer o download da aplicação (qvf) para carregá-la em um servidor Enterprise da companhia, quando for o caso.
  • A infraestrutura é mantida pela Amazon, não havendo preocupação por parte dos usuários quanto a manutenção do ambiente.
  • A conexão é estabelecida com SSL (Security Sockets Layer), portanto segura.
  • O tamanho máximo dos arquivos a serem carregados é de 10GB. O tamanho máximo da aplicação (painel) é de 25MB, já considerando a forte compactação.
  • A soma do tamanho das aplicações (qvf) não pode superar 250MB.
Nota:  A Qlik está permanentemente atualizando o modelo em nuvem, portanto as informações acima podem estar defasadas. 

Assuntos Relacionados



Envelope01.jpg
Procurando Algo? Fale Conosco!



Voltar | Assuntos Gerais | Página Principal

Página Principal >> Assuntos Gerais >> Assuntos Gerais de Qlik Sense >> Licenciamento da Plataforma Sense